domingo, 6 de março de 2016

"Por onde devo começar ?"

Nunca li o livro "Alice no País das Maravilhas", contudo vi algumas citações interessantes a respeito dessa obra e gostaria de compartilhar uma delas com você. É a seguinte: um personagem precisava fazer uma determinada tarefa e pergunta para outro por onde ele devia começar. A resposta foi: "Comece pelo começo. Vá até o fim. Então, pare."

Começar pelo começo! À primeira vista parece um conselho banal, estúpido até! Mas quando se trata de aprender Desenho, de ensinar Desenho, é justamente isso que pouca gente faz. Não é o traço o início de todo desenho? Sim, é. Logo, é o traço que devemos trabalhar, antes de tudo!

Como? Praticando exercícios de traço. Não deixe de ler as postagens referentes a esse assunto (e claro, pratique. Porque senão, de que resolve?). Veja também o FAQ, contendo respostas às dúvidas mais comuns.

Alguns leitores do blog me perguntaram a respeito da duração dos exercícios, quantas horas fazer, quantas folhas preencher... Eu próprio me fiz essas questões, quando decidi praticar os exercícios do Prof. Fábio. Na época, planejando como iria cumprir essa meta, cheguei a algumas conclusões.

Primeira, era mais prático estabelecer o objetivo não em "quantas horas por dia" e sim "quantas folhas por dia". Porque se eu fixasse o objetivo em, digamos, "praticar três horas por dia" e parasse durante meia hora para fazer outra coisa...acabaria não dando certo. O melhor caminho, portanto, era estabelecer por quantidade de folhas, não de horas. Dessa forma, eu não me deixava espaço para enrolação.

"Legal! Agora, Quantas folhas preencher? Duas? Cinco? Dez?" Em outros tempos, eu cometi o erro de pegar pesado, planejando fora da minha realidade... me cobrando fazer mil coisas num tempo mínimo. Resultando: acabava desanimando e abandonando a meta. Para evitar esse problema decidi colocar, como meta mínima, fazer uma folha por dia, frente e verso.

Mesmo nos dias mais puxados, me era possível cumprir essa meta diária. Nos dias em que me sobrava mais tempo (e motivação), eu preenchia mais folhas. Naqueles dias mais corridos, eu fazia apenas o mínimo... e não ficava me cobrando/me culpando por absolutamente nada! Sabia que só ia atingir o objetivo depois de meses...e estava cumprindo aquilo que me propus a fazer. A cada dia, um passo por vez.

Outra questão: "O que faço além dos exercícios?" Nos dois primeiros meses de treino, eu só me dediquei a praticar eles, porque não estava nada satisfeito com meu traço (muito pelo contrário!) e decidi dar atenção total a isso. Logicamente, eu variava os exercícios, a cada dia, para não me cansar...e fazia como descrevi no parágrafo anterior.

No entanto, aí vai de cada um. Se você quer desenhar outra coisa além, vá em frente. Só tome cuidado para não planejar "fazer coisas demais" em "tempo curto demais" ou se cobrar resultados acima do que você pode cumprir no seu momento...

Nenhum comentário:

Postar um comentário